Alencar Garcia de Freitas

17 de setembro de 2014
Pesquisa eleitoral: a grande eleitora......

Dentro de mais alguns dias, o Brasil estará realizando, de novo, o exercício democrático do voto popular, para eleger deputados, senadores, governador e presidente da República......

Para um país que ficou às escuras por mais de 20 anos por conta da malsinada ditadura militar (ainda bem que não foram 50 anos, como a ditadura civil cubana), a conquista não poderia ser maior......

Só quem viveu os tempos de chumbo pode dar tanto valor a eleições livres, ou melhor, razoavelmente livres, porque a maioria do eleitorado ainda depende da grande eleitora, a pesquisa eleitoral.

Muita gente, por ignorância ou má-fé, vota em candidato que esteja na frente, segundo as pesquisas, não entendendo que as pesquisas são um retrato do momento, apesar de realizadas com a maior cientificidade possível, podendo o quadro ser alterado profundamente lá na frente.

Os candidatos a cargos eletivos, principalmente os majoritários, sabendo que as pesquisas são
espécies de cabos eleitorais, procuram tirar o máximo de proveito possível durante os programas eleitorais e junto aos meios de comunicação de massa, alguns destes tendo, sem dúvida, seus candidatos preferenciais, inobstante a legislação e a Justiça Eleitoral fixarem espaços iguais para todos.


É bem verdade que na maioria das vezes as pesquisas se confirmam lá na frente, talvez por esse motivo mesmo, isto é, os eleitores se deixam influenciar pelo que veem nas pesquisas de intenção de voto, sobretudo os eleitores que ainda não possuem a maturidade política necessária para o exercício do voto de modo mais consciente, considerando, em primeiro lugar, o interesse público.

Tem um outro elemento que , além das pesquisas eleitorais, pode mudar – e muito – o resultado de um pleito poucos dias antes das eleições.

Trata-se do voto dos indecisos que só aparece no momento em que o eleitor estiver diante da urna eletrônica e sua consciência ditar: é agora!

Já escrevi mais de uma vez que faço parte dos milhões de indecisos que só vão decidir o voto em cima da hora.

No meu caso, principalmente para presidente, minha decisão será na hora de digitar o número do candidato e apertar a respectiva tecla.

E o pior é que quanto mais ouço a fala dos candidatos, maior a minha dificuldade para decidir.

Alencar Garcia de Freitas é jornalista

COMENTAR

COPYRIGHT© 2007-2014 Don Oleari Ponto Com - Todos os direitos reservados - Aldeia Verbal Produções e Jornalismno - CNPJ: 15.265.070/0001-49